O Banco Central do Brasil (Bacen) estabelece que os bancos devem fechar o dia sempre com saldo positivo. Desse modo, os bancos emitem títulos de CDI e realizam empréstimos de curtíssimo prazo entre si para cumprir a determinação do Bacen. 

Nesses empréstimos são cobradas taxas de juros e a B3 faz o cálculo da média das taxas de juros praticadas. O resultado desses cálculos é a taxa DI, que é usada como índice de rendimento de diversos ativos de renda fixa

Outra taxa muito importante na economia, é a taxa Selic. Sendo que a diferença entre as duas taxas é que a taxa DI é a média dos juros praticados entre os bancos. Por outro lado, a Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. 

O que é CDI?

A sigla CDI deriva de Certificado de Depósito Interbancário, um título de curtíssimo prazo emitido pelos bancos em busca de empréstimos. Em outras palavras, CDI é um certificado interbancário negociado entre os bancos, com validade de um dia para o outro. Esses empréstimos de curtíssimo prazo existem para que a determinação do Banco Central seja cumprida.

Em síntese, o Bacen determina que os bancos não podem fechar o dia no vermelho. Sendo assim, nos dias em que os clientes sacam muito dinheiro, os bancos precisam recorrer a empréstimos entre si. Ao emitir títulos de CDI, os bancos oferecem uma taxa de juros em troca do empréstimo.

O

Sua previdência privada

Como as negociações de títulos de CDI são registradas na B3, ela faz o cálculo da taxa média de juros praticada pelas instituições. Essa taxa é calculada diariamente e é conhecida como taxa DI ou taxa CDI. Apesar de ser um indicador calculado diariamente, ele também é calculado em base mensal e anual.

O funcionamento de um título de CDI é parecido com um CDB – Certificado de Depósito Bancário. Dessa forma, ambos são títulos emitidos por bancos com o objetivo de arrecadar dinheiro. A grande diferença entre eles, é que o CDI é negociado apenas entre bancos, ao passo em que os CDBs são oferecidos para os investidores em geral. 

Como o CDI funciona?

O CDI funciona como referência de rentabilidade para diversos ativos no mercado financeiro. Dessa maneira, ele é usado como base para o retorno de diversos ativos de renda fixa, como por exemplo, CDBs e LCIs. Inclusive, a taxa DI é usada como benchmark para fundos de renda fixa.

Neste caso, quando o fundo apresenta um rendimento acima do CDI, ele teve uma performance satisfatória. Ao contrário, quando o rendimento fica abaixo do CDI, o fundo poderia ter tido um desempenho melhor. Os títulos atrelados ao CDI são pós-fixados. Isso significa que eles rendem uma porcentagem do CDI.

O

Onze

Por exemplo, um CDB que oferece 100% do CDI rende exatamente a variação do CDI no período. Contudo, os títulos podem render mais ou menos do que o CDI. Por exemplo, um CDB pode oferecer um retorno de 140% do CDI. Como esses títulos irão render uma porcentagem do CDI, o rendimento varia conforme as oscilações do CDI. Logo, quando o CDI sobre os rendimentos aumentam e vice-versa. 

Diferenças entre CDI e Selic

O CDI é um título emitido pelos bancos para captarem dinheiro e fecharem o dia com saldo positivo. A B3 calcula a média de juros oferecida entre os títulos negociados e divulga a taxa CDI, que é usada como referência para ativos de renda fixa. 

Por outro lado, o Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic), é a taxa básica de juros da economia brasileira. Ela é definida a cada 45 dias pelo Comitê de Política Monetária (COPOM) e impacta nas demais taxas de juros. Ao influenciar as outras taxas de juros, a Selic está diretamente relacionada com o controle da inflação.

O

Urbe

Assim como o CDI, a Selic é usada como referência para alguns tipos de investimentos de renda fixa. Além disso, o CDI costuma ficar bem próximo da taxa Selic. Isso significa que, quando a taxa Selic baixa, normalmente o CDI também é reduzido e impacta os investimentos atrelados a uma das duas taxas.

Investimentos atrelados ao CDI

Existem diversos tipos de investimentos pós-fixados, com rentabilidade atrelada ao CDI. Sendo que, para calcular o rendimento, basta verificar o CDI do período desejado e aplicar o percentual do investimento. Por exemplo, vamos calcular o rendimento dos últimos 12 meses de um CDB que paga 95% do CDI.

Suponhamos que o índice no período tenha sido de 14% e a aplicação tenha sido de R$ 1.000. Neste caso o cálculo é 0,95*14 = 13,3%*1000 = 133,00. Portanto, o rendimento durante o ano de um CDB que paga 95% do CDI, foi de R$ 133,00.

1- CDBs

Os Certificados de Depósito Bancário são títulos emitidos pelos bancos com o objetivo de captar recursos para realizar suas atividades. Ao investir em CDBs, o investidor está basicamente emprestando seu dinheiro para o banco, em troca de uma taxa de juros que pode ser prefixada ou pós-fixada (atrelada ao CDI). 

O

Clube do valor

A tributação dos CDBs ocorre através da tabela regressiva do Imposto de Renda (IR), que começa com a alíquota de 22,5% e é reduzida até o mínimo de 15%, de acordo com o tempo que o dinheiro ficar aplicado. A grande vantagem desses títulos é que eles são cobertos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que devolve até R$ 250 mil por instituição e CPF em caso de calote do banco. 

2- Debêntures

As debêntures são títulos de crédito emitidos por empresas. Elas são parecidas com os CDBs, com a diferença de que são emitidas por empresas e, por isso, não possuem a proteção do FGC. Enfim, as debêntures pós-fixadas remuneram um percentual do CDI e as debêntures incentivadas possuem a vantagem de serem isentas de IR. 

3- LCIs e LCAs

As Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e do Agronegócio (LCAs), são títulos emitidos pelos bancos com a intenção de destinar recursos para os respectivos setores imobiliário e do agronegócio. Esses títulos são cobertos pelo FGC e possuem a vantagem de serem isentos de Imposto de Renda. 

width=750

Fdr

4- CRIs e CRAs

Outro tipo de investimento com rendimento atrelado ao CDI, são os Certificados de Recebíveis Imobiliário (CRIs) e do Agronegócio (CRAs). Eles  também são isentos de imposto de renda. Entretanto, eles não contam com a proteção do Fundo Garantidor de Crédito.

5- Fundo de renda fixa

Os fundos de renda fixa simples aplicam majoritariamente em títulos públicos federais, títulos emitidos por instituições com risco semelhante aos títulos públicos e em operações compromissadas. Dessa forma, os fundos geralmente usam o CDI como uma meta de rendimento e são um tipo de fundo escolhido principalmente por investidores conservadores

width=1000

Pag seguro

6- LC

Por fim, temos ainda as Letras de Câmbio (LCs), que são parecidas com as LCIs e LCAs. A diferença principal entre elas, é que as LCs não são isentas de IR. Sendo assim, a tributação ocorre por meio da tabela regressiva, com a alíquota máxima de 22,5% e mínima de 15%.

Enfim, agora que você sabe o que é CDI, aproveite para aprender como funciona a Capitalização composta, o que é? Como usar e diferenças entre simples

Fontes: Infomoney, Rico e Nubank

Imagens: Sua previdência privada, Onze, Topinvest, Clube do valor, Urbe, Pag seguro e Fdr

Write us

Find us at the office

Blotner- Kwas street no. 55, 39246 Canberra, Australia

Give us a ring

Dymon Rothfuss
+78 715 483 676
Mon - Fri, 10:00-22:00

Write us